logo-ispup-color.svg
logo-covid-19.png

Uma médica grávida no segundo trimestre deve continuar a trabalhar e fazer urgência, nesta fase em que o número de casos irá começar a aumentar?

10 mar 2020

Ainda é limitada a quantidade de informação sobre o efeito da COVID-19 em mulheres grávidas. As caraterísticas clínicas foram semelhantes às descritas em mulheres não grávidas embora o número de casos estudados seja ainda reduzido. No entanto já se pode afirmar com bastante segurança que não há transmissão intra-uterina mãe-filho, pelo menos quando a infeção ocorre no terceiro trimestre da gravidez, e que a alimentação com leite materno não está contraindicada, mesmo que a mãe esteja infetada.

Devemos contudo chamar a atenção para o facto de, durante a gravidez, ocorrerem alterações fisiológicas maternas, como alterações da imunidade mediada por células ou alterações da função pulmonar que afetam tanto a suscetibilidade quanto a gravidade clínica das pneumonias. Assim, é fundamental a prevenção da COVID-19 como de outras infeções respiratórias. As grávidas e os recém-nascidos devem ser consideradas populações mais vulneráveis no que respeita às estratégias de prevenção e gestão da COVID-19, insistindo na informação, aconselhamento e acompanhamento.

Os profissionais de saúde, pela natureza da sua atividade, estão naturalmente em maior risco de contrair infeções mas também há provas claras de a utilização adequada de medidas de proteção e o respeito escrupuloso das regras de prevenção serem extraordinariamente eficazes, como o tem demonstrado o decurso da atual epidemia da COVID-19: onde essas regras são respeitadas não se verificam casos em profissionais de saúde!

Assim, não há evidência que justifique a evicção laboral de grávidas profissionais de saúde. Mas deve haver o cuidado de seguir os protocolos atualmente indicados, particularmente aquando de contacto com um caso suspeito ou de doença. Nessas circunstâcias, as profissionais de saúde grávidas devem ter uma avaliação de risco e seguir as indicações protocoladas. O respeito pelas recomendações para a prevenção e as práticas de controlo são fundamentais para a proteção de qualquer profissional de saúde em ambiente clínico.

Últimas questões

Fórum

A Organização Mundial da Saúde (OMS) atribuiu o nome de COVID-19 à doença provocada por um novo coronavírus. Este vírus, responsável por infeções respiratórias graves, foi identificado em humanos, em 7 de janeiro de 2020, na sequência de um surto de pneumonia reconhecido, em dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan, província de Hubei. Entretanto, foram diagnosticados milhares de casos na China e igualmente confirmados casos de COVID-19 em todos os continentes e declarada em 30 de janeiro de 2020 o estado de emergência de saúde pública de âmbito internacional.

Tendo em conta a atualidade, a dispersão dos casos e a necessidade de esclarecimento continuado sobre as caraterísticas deste problema de saúde pública, o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) abre este fórum para incentivar os cidadãos a colocarem as suas dúvidas sobre questões relacionadas com a COVID-19.

Neste espaço, sujeito a moderação, todos são convidados a colocarem as suas dúvidas, as quais serão respondidas por investigadores do ISPUP, em colaboração com a Unidade de Doenças Emergentes do Serviço de Doenças Infeciosas do Centro Hospitalar Universitário de São João.

Informamos que as respostas às questões colocadas são dadas, de acordo com a evidência científica disponível, até à data.

Pedimos, por favor, que verifique no fórum, e neste conjunto de Perguntas Frequentes (FAQs), se a resposta à sua questão já foi respondida. Basta clicar no tópico, para ter acesso ao documento com as questões. 

- O Vírus e a Doença

- Como se pode transmitir? Quem poderá estar doente?

- Como nos podemos proteger?

- Estou em risco?

- Como manter a minha saúde mental?

- Qual a resposta do SNS?

- Funerais, animais, viagens e encomendas

- Mitos e Notícias falsas

Tenha em consideração que, devido ao elevado número de questões que estamos a receber, daremos prioridade de resposta a perguntas que ainda não estão repetidas no fórum. Caso necessite de algum esclarecimento adicional, por considerar que alguma resposta não está compreensível, pode entrar em contacto connosco, através do e-mail: [email protected]

Consulte a Política de Privacidade do Fórum COVID-19 do ISPUP, AQUI

Se quiser ajudar a Ciência no contexto da pandemia de COVID-19, dedique cerca de 5 a 10 minutos do seu dia, para participar no estudo "Diários de uma pandemia". O estudo, desenvolvido pelo ISPUP e pelo INESC TEC, em parceria com o jornal Público, convida os cidadãos a responderem diariamente a um conjunto de perguntas, que ajudarão a compreender a evolução da vida dos Portugueses, ao longo da pandemia de COVID-19. Participe, AQUI