logo-ispup-color.svg
logo-covid-19.png

Qual o interesse de indivíduos assintomáticos fazerem testes de imunidade da COVID-19 (anticorpos igG e igM) para saber se tiveram contato com o vírus sem terem desenvolvido sintomas? Esses testes são fiáveis? E, no caso particular de um indivíduo que teve uma constipação ligeira, em meados de março de 2020, na altura não considerado caso suspeito, porque estávamos em fase de contenção e não tinha link epidemiológico? Tem interesse fazer o rastreio desses anticorpos?

11 mai 2020

A realização destes testes apresenta, neste momento, duas grandes limitações.
 
Por um lado, atualmente, estes testes apresentam uma baixa sensibilidade e baixa especificidade. Assim, a probabilidade de ter um teste negativo, ainda que apresente anticorpos contra a COVID-19, ou ter um teste positivo, ainda que não os apresente, não é negligenciável, o que não traz segurança na interpretação dos resultados.
 
Por outro lado, ainda não sabemos se a existência de anticorpos nos impede de vir a ter a doença uma segunda vez, visto não sabermos ainda qual o número mínimo de anticorpos para impedir a progressão de uma nova infeção.
 
Esperamos que, nos próximos meses, a qualidade dos testes melhore, assim como se compreenda melhor se a existência de anticorpos realmente nos traz imunidade a médio prazo para a doença. 
Até lá, a realização do teste pode ser proposta para fins de investigação ou ponderada por mera curiosidade. Independentemente do resultado destes testes ou mesmo de ter tido infeção por COVID-19 no passado, as medidas de precaução, como o distanciamento físico, higiene das mãos e etiqueta respiratória, devem neste momento ser mantidas.

Últimas questões

Fórum

A Organização Mundial da Saúde (OMS) atribuiu o nome de COVID-19 à doença provocada por um novo coronavírus. Este vírus, responsável por infeções respiratórias graves, foi identificado em humanos, em 7 de janeiro de 2020, na sequência de um surto de pneumonia reconhecido, em dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan, província de Hubei. Entretanto, foram diagnosticados milhares de casos na China e igualmente confirmados casos de COVID-19 em todos os continentes e declarada em 30 de janeiro de 2020 o estado de emergência de saúde pública de âmbito internacional.

Tendo em conta a atualidade, a dispersão dos casos e a necessidade de esclarecimento continuado sobre as caraterísticas deste problema de saúde pública, o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) abre este fórum para incentivar os cidadãos a colocarem as suas dúvidas sobre questões relacionadas com a COVID-19.

Neste espaço, sujeito a moderação, todos são convidados a colocarem as suas dúvidas, as quais serão respondidas por investigadores do ISPUP, em colaboração com a Unidade de Doenças Emergentes do Serviço de Doenças Infeciosas do Centro Hospitalar Universitário de São João.

Informamos que as respostas às questões colocadas são dadas, de acordo com a evidência científica disponível, até à data.

Pedimos, por favor, que verifique no fórum, e neste conjunto de Perguntas Frequentes (FAQs), se a resposta à sua questão já foi respondida. Basta clicar no tópico, para ter acesso ao documento com as questões. 

- O Vírus e a Doença

- Como se pode transmitir? Quem poderá estar doente?

- Como nos podemos proteger?

- Estou em risco?

- Como manter a minha saúde mental?

- Qual a resposta do SNS?

- Funerais, animais, viagens e encomendas

- Mitos e Notícias falsas

Tenha em consideração que, devido ao elevado número de questões que estamos a receber, daremos prioridade de resposta a perguntas que ainda não estão repetidas no fórum. Caso necessite de algum esclarecimento adicional, por considerar que alguma resposta não está compreensível, pode entrar em contacto connosco, através do e-mail: [email protected]

Consulte a Política de Privacidade do Fórum COVID-19 do ISPUP, AQUI

Se quiser ajudar a Ciência no contexto da pandemia de COVID-19, dedique cerca de 5 a 10 minutos do seu dia, para participar no estudo "Diários de uma pandemia". O estudo, desenvolvido pelo ISPUP e pelo INESC TEC, em parceria com o jornal Público, convida os cidadãos a responderem diariamente a um conjunto de perguntas, que ajudarão a compreender a evolução da vida dos Portugueses, ao longo da pandemia de COVID-19. Participe, AQUI